Meteoritos

Na exposição “Memórias de um Carbono” você também poderá conferir uma mostra de meteoritos

Meteoritos são fragmentos de rocha ou metal de origem extraterrestre e, após uma longa viagem pelo espaço, caem em nosso planeta. São originários de outros corpos do Sistema Solar: asteroides, a nossa Lua, até mesmo de Marte.

Os meteoritos são os objetos mais antigos disponíveis para o estudo da ciência. Alguns deles datam dos primeiros estágios de formação do Sistema Solar, há 4 bilhões e 570 milhões de anos. Verdadeiras cápsulas do tempo, permitem aos cientistas entenderem sob quais condições o Sol, planetas, luas, asteroides, cometas e a própria Terra se formaram.

Meteoro ou Meteorito? Após bilhões de anos orbitando o Sol, essas pedras do espaço chegam à Terra devido a impactos com outros corpos celestes, ou pela ação da gravidade. Ao atravessarem a atmosfera terrestre, esses objetos produzem luz e calor graças às suas altas velocidades e ao atrito com o ar. O fenômeno luminoso que ocorre na passagem desses objetos pela nossa atmosfera é conhecido como meteoro e popularmente chamado de “estrela-cadente”. Se o objeto for grande o suficiente, acaba resistindo à passagem pela atmosfera, atingindo a superfície da Terra e recebendo o nome de meteorito.

Tipos:

Existem três categorias de meteoritos, de acordo com sua composição: Rochosos, Ferrosos e Ferro-Rochosos. Nessa exposição você poderá conhecer um pouco sobre esses visitantes do espaço sideral.

Abaixo algumas amostras de cada um destes tipos que poderão ser vistas na mostra:

Meteoritos Rochosos

Os meteoritos rochosos formaram-se na mesma época e do mesmo material dos planetas rochosos. No começo da formação do Sistema Solar, havia apenas uma nuvem de gás (principalmente Hidrogênio) e poeira. A maior parte do gás deu origem ao Sol, e do restante formaram-se os planetas gasosos. Já a poeira se juntou em pequenos aglomerados rochosos, compostos de grãos, poeira fina e flocos de metal. Esses pequenos grãos esféricos, medindo apenas alguns milímetros, foram os primeiros componentes a se formar: são os Côndrulos. O material originado nesta etapa da formação do Sistema Solar é chamado de Condrito.

Com o passar do tempo, parte deste material continuou se aglomerar e a sofrer diferentes processos que mudaram suas características, dando origem aos planetas rochosos, aos satélites naturais, e a grandes asteroides. Contudo, uma parte deste material manteve-se em pequenos aglomerados, inalterados desde a formação do Sistema Solar, dando origem aos meteoritos Condritos. São o tipo de meteorito mais comum encontrado, correspondendo a 85% das quedas na Terra.

Amostra do meteorito Allende

Meteoritos Ferrosos

Os meteoritos Ferrosos tem como característica principal a composição rica em Ferro (de 93% a 65%) e Níquel (de 7 a 35%). Esses meteoritos formaram-se depois dos meteoritos Condritos. O agrupamento dos materiais condríticos deram origem a aglomerados cada vez maiores, os asteroides. O intenso calor liberado pelas colisões com outros asteroides derreteu a rocha, incluindo os flocos de metal nela existente. Este metal, mais denso, acabou afundando em direção ao centro dos asteroides formando seus núcleos, de maneira semelhante à que ocorreu na Terra e nos demais planetas rochosos. A rocha, agora homogênea e sem côndrulos visíveis, ficou na superfície. Este processo é conhecido como diferenciação.

Com o tempo, esses asteroides se solidificaram, se fragmentaram devido a impactos com outros asteroides, e fragmentos desses núcleos acabaram dando origem aos meteoritos Ferrosos, que compreendem 5% das quedas. Graças à sua composição metálica, são mais resistentes ao intemperismo terrestre, e acabam sendo mais facilmente encontrados mesmo vários anos após suas quedas.

Amostra do meteorito Canyon Diablo

Meteoritos Ferro-Rochosos

Os meteoritos Ferro-Rochosos estão entre os mais raros que existem, compreendendo apenas 1,5% das quedas. Esses meteoritos são caracterizados por possuírem proporções quase iguais de metais (principalmente Ferro e Níquel) e material rochoso.

Existem dois tipos principais de meteoritos Ferro-Rochosos. Os Palasitos formaram-se de maneira semelhante à dos meteoritos Ferrosos: no interior dos asteróides derretidos, porém são originados da interface (divisão) entre o núcleo e a superfície. Enquanto o núcleo é composto por metais, e a superfície por rochas, a interface entre a rocha e o núcleo acaba não se diferenciando totalmente, formando uma estreita faixa onde existe uma mistura de metal e rocha. A escassez desse tipo de meteorito se deve justamente ao pequeno tamanho desta faixa de material Ferro-Rochoso no interior dos asteróides.

Já os Mesosideritos foram formados durante os violentos impactos que ocorreram no início do Sistema Solar, e contém pedaços das crostas e núcleos de vários asteroides diferentes.

Amostra do meteorito Camel Donga

Na exposição você poderá ver de perto várias amostras destes tipos de meteoritos, aprender mais sobre eles e ainda tocar em uma grande amostra de um meteorito encontrado aqui no Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s